Escritório: Denise Macedo Arquitetos Associados
Arquiteta: Denise Macedo em parceria com Jr Piacesi
Colaboradores: Patrícia Takamatsu, Ana Beatriz Cançado, Renato de Pieri, Bárbara Impelizieri, Alexandre Vasconcelos
Área: 1.100,00m²
Ano: 2010
Localização: Nova Lima/MG

Parceiros:
J.A.C. Móveis – Marcenaria / Itaminas – Construtora / Ana Luíza Decorações – Cortinas / La Lampe – Iluminação / São Romão – Mobiliário / Mundo dos Vidros – Esquadrias / Mendes e Garcia Topografia / Gustavo Xavier – Fotografia

O conceito deste projeto partiu da percepção da enorme vocação que esta casa teria como espaço de contemplação.

Primeiramente a casa teria o objetivo de abrigar e expor um considerável acervo de arte contemporânea, e segundo lugar, delineado por vales e montanhas azuis das Minas Gerais, o entorno é encimado por uma paisagem rara e espetacular, que deveria ser trazida para dentro de casa em todos os seus ambientes, quartos, banhos, salas, escritório, e principalmente, a cozinha, pois a gastronomia é também foco de interesse do proprietário.

Portanto o projeto deveria atender e harmonizar duas importantes necessidades: grande área em paredes de alvenaria para a exposição das obras, e fachadas com  vidro para que a paisagem externa adentrasse na casa. Portanto foi criada uma galeria de 14 metros de profundidade, e pé direito duplo de 6 metros de altura, oferecendo uma área de exposição de 190 metros quadrados.

A parede da lateral esquerda desta galeria de 14 metros possibilitou a criação de uma rampa com 28 metros de extensão, promovendo uma circulação e um caminhar circundado de obras de arte, valiosas visadas, e enquadramentos da extraordinária paisagem externa.

A escolha de materiais e acabamentos teve como objetivo a simplicidade e o despojamento, características importantíssimas para o casal proprietário, buscando evitar interferências à exposição das obras e ao traçado arquitetônico, traçado este com perspectivas já muito bem demarcadas pela estrutura metálica aparente da cor do minério de ferro, uma vez que a região desta implantação é de um grande sítio de mineradoras. Para driblar interferências foi escolhido o piso de cimento queimado, e as paredes brancas com pintura especial e lavável, incluídos banhos e cozinha, não possuem revestimentos. Todas as bancadas são em Corian branco, que mimetizam com as paredes, e a marcenaria em laca branca, foi concebida com a intenção de não promover o destaque nas paredes, mas complementação destas.

A definição do mobiliário foi norteada pelo mesmo conceito para que aquele não concorresse em momento algum com as obras, mas que ao mesmo tempo mimetizasse o piso de cimento queimando. As peças foram escolhidas pela  sobriedade e elegância das cores e do design, seguindo a coerência que norteou todo o projeto.